Histórico: Zé Carlos evidencia protagonismo de movimentos sociais maranhenses em ato de posse no INCRA

O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) no Maranhão já tem um novo superintendente regional. Empossado na tarde… [ ]

5 de abril de 2023

O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) no Maranhão já tem um novo superintendente regional. Empossado na tarde desta terça-feira (4), José Carlos Nunes Júnior, popularmente conhecido como Zé Carlos, assume a gestão do órgão no Maranhão.

O novo gestor promoveu um momento de reparação histórica ao levar povos e comunidades tradicionais, sindicatos e movimentos sociais para tomarem posse junto com ele na autarquia.

“Quem assume o INCRA não é o Zé Carlos. Quem assume são os nossos povos e comunidades tradicionais, sindicatos, movimentos sociais… O povo do Maranhão toma posse desta autarquia! Precisamos corrigir os erros do passado e trabalharmos para dar voz e vez a essas classes que lutam pela justiça social no direito da sua terra para plantar, colher, levar comida na mesa e gerar renda. Tenho consciência que a reforma agrária é o principal instrumento para combatermos à fome nesse país e que deve andar de mãos dadas com a agricultura familiar, levando dignidade aos assentamentos. Defendemos a democratização do acesso à terra, de uma agricultura familiar sustentável, da titulação de territórios quilombolas e o combate aos conflitos agrários.”, afirmou Zé Carlos.

O representante da Coordenação Nacional de Articulação de Quilombos (CONAQ), Ivo Fonseca, afirmou que estava vivendo um momento histórico.
“Sentimos que agora a reforma agrária vai acontecer. São pelo menos 34 anos construindo políticas públicas de reforma agrária, consolidando normas, leis, decretos. O Maranhão sempre trabalhou muito para efetivar a política e agora vamos juntos definir novas estratégias para a política fundiária no Maranhão.”, declarou Ivo Fonseca.

O ministro do Desenvolvimento Agrário e da Agricultura Familiar, Paulo Teixeira, também enviou mensagem enfatizando a confiança do governo federal na escolha do novo gestor e destacando os programas e investimentos que serão realizados como vistas à reforma agrária no Maranhão.

A representante do INCRA nacional, Rose Rodrigues, agradeceu o apoio dos movimentos sociais que fizeram questão de estar presentes na solenidade e disse que toda a equipe do órgão está comprometida com a gestão no Maranhão.
“Eu sei que no Maranhão temos o maior número de assentamentos do Nordeste e o maior número de famílias assentadas. Isso só é possível porque temos aqui uma equipe que respeita os direitos constitucionais, que tem consciência do quão importante é essa política. E vejo que aqui temo esse marco de alianças com os sujeitos resguardados pelas organizações que lutam pela terra. Afirmamos nosso compromisso total com gestão do superintendente Zé Carlos”, enfatizou.

A solenidade realizada na sede no INCRA, no bairro Turu, em São Luís, reuniu representantes dos movimentos sociais envolvidos na pauta dos direitos à terra, povos e comunidades tradicionais e juventude, além de autoridades do poder público executivo, legislativo e servidores públicos.
Entre os participantes estavam a Diretora de Desenvolvimento e Consolidação de Projetos de Assentamento do INCRA, Rose Rodrigues; a secretária de estado dos Direitos Humanos e Participação Popular, Lília Raquel Souza; o secretário de estado da Agricultura Familiar, Bira do Pindaré; os deputados federais Rubens Júnior, Márcio Jerry, Márcio Honaiser; os deputados estaduais, Rodrigo Lago, Ricardo Arruda e Júlio Mendonça; representantes dos movimentos sociais Ivo Fonseca (Conaq), Angela Silva (Fetaema), Vânia Ferreira (MST), Nice Aires (Aconeruq), Vicença Alves (UEFAMA), Creuzamar de Pinho (União Por Moradia); Ivo Rezende (FAMEM), além de prefeitos, vereadores, servidores públicos e público em geral.

Sobre o novo superintendente
Zé Carlos é engenheiro civil, formado pela Universidade Estadual do Maranhão, com ampla experiência na área de gestão. Atual na Companhia de Habitação do Estado do Maranhão (Cohab), no Banco Nacional de Habitação e na Caixa Econômica Federal. Teve três mandatos parlamentarem, um como deputado estadual e dois como deputado federal. Na Assembleia Legislativa atuou no apoio às pautas da agricultura familiar e da educação no campo.
Na Câmara dos deputados contou com amplo apoio dos movimentos sociais, dos sindicatos e das federações representativas dos trabalhadores e trabalhadoras do campo e pode lutar em defesa da educação, direitos humanos, meio ambiente, direitos dos povos indígenas e quilombolas, sempre buscando a melhoria da condição de vida dos pequenos agricultores.

ASSCOM

0 Comentários

Deixe o seu comentário!