Com o objetivo de lembrar as centenas de meninos e meninas abusados e explorados sexualmente no Brasil todos os dias, ocorreu a 1ª BLITZ Educativa alusiva ao 18 de Maio. A data foi instituída como o “Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes”.

Durante o percurso os participantes lembraram que, na maioria das vezes, o perigo está próximo e dentro de casa. Pesquisas revelam que mais de 70% dos abusos são cometidos por pessoas próximas das crianças, como pais, padrastos e conhecidos da família.

“Nosso foco é incentivar a denúncia. Precisamos ser a voz dessas crianças que sofrem caladas por medo de denunciar um amigo, padrasto ou o próprio pai”, disse a Secretária de Assistência Social Julliana Gonçalves.

Foram distribuídos informativos da campanha “Faça Bonito”. Também foram apresentados os serviços oferecidos no município para atender as vítimas e suas famílias.

“Essa é uma luta sem fim, que não pode ficar restrita a esta semana, deve permanecer todos os dias”, reforçou o Areolino vieira de Albuquerque Junior coordenador da proteção social especial ( PSE ).

18 de maio

A escolha da data é uma forma de lembrar à sociedade o caso Araceli Cabrera Sanches. No dia 18 de maio de 1973, Araceli, na época com oito anos, foi sequestrada, drogada, espancada, estuprada e morta. Três integrantes de uma tradicional família do Espírito Santo foram acusados e condenados, mas a condenação foi revogada por falta de provas. O crime comoveu o país na época, mas, 45 anos depois, ninguém cumpriu pena pela violência contra a menina.

Após uma forte mobilização, movimentos em defesa dos direitos de crianças e adolescentes conseguiram a aprovação de uma lei federal, em 2000, que instituiu o 18 de Maio como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Desde então, a sociedade civil promove atividades em todo o país para conscientizar a população e as autoridades sobre a gravidade do problema.

Clique aqui para ver mais