O Maranhão teve em março o maior saldo de empregos com carteira assinada dos últimos oito anos para esse mês. De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, o Estado ganhou 1.017 novas vagas formais em março.

O crescimento do Maranhão no mês foi maior que a média do Brasil. Entre os Estados do Nordeste, ficou atrás apenas da Bahia.

A maior parte dos empregos foi criada em Serviços; Pesquisa e Desenvolvimento Experimental em Ciências Sociais e Humanas; Atividades de Cobranças e Informações Cadastrais; e Indústria de Transformação .

Adão Pereira, participante do Programa Mais Empregos. (Foto: Orcenil Junior)

Trimestre

No acumulado do primeiro trimestre, o saldo também é positivo, bem acima do verificado no mesmo período de 2017, quando a crise econômica nacional puxou o número para baixo.

Entre as cidades que mais se destacaram na criação de empregos com carteira assinada no trimestre estão Balsas, São Luís, Tasso Fragoso e Açailândia.

Em Balsas, Tasso Fragoso e Açailândia, quem puxou a criação de novas vagas foi o agronegócio. Já na capital, o setor de Serviços foi quem mais contribuiu para o saldo positivo.

Incentivos

O agronegócio tem recebido diversos incentivos do Governo do Maranhão, como redução de impostos para os produtores.

As centenas de obras que vêm sendo feitas pelo Estado também têm estimulado o mercado de trabalho. E o Governo tem atraído empresas do setor de Serviços com incentivos para gerar emprego. Um dos exemplos é o novo Parque Empresarial de São Luís, que já gerou centenas de vagas no setor atacadista.

Serviços e Agronegócio têm criado empregos no Maranhão. (Foro: Divulgação)

Redação Blog do DjairPrado