Antes, Mercia Poliana vivia de bicos esporádicos com faxina, sem garantia de trabalho. Hoje ela é uma microempreendedora. É o caso dela e de cerca de 1.800 pessoas em diversas regiões do Maranhão que foram incluídas no programa Mais Renda, do Governo do Maranhão.

Eles passam por cursos e treinamentos para, no fim, receber um kit completo de trabalho. Pode ser um carrinho para a venda de alimentos ou um mini salão de beleza. Além disso, são acompanhados por técnicos durante um ano para conseguir manter o negócio lucrativo.

O Mais Renda já está em 13 cidades e já capacitou 1.810 pessoas. Foram entregues 1.130 equipamentos – os chamados kits, que são os carrinhos e o material de trabalho. Os demais devem ser entregues até junho.

Carrinhos do Mais Renda em Codó. (Foto: Nael Reis)

“Antes eu vivia fazendo faxina na casa de um e de outro. Hoje tenho como sobreviver com o meu carrinho para trabalhar e tirar a alimentação minha e dos meus filhos”, conta Mercia Poliana, da cidade de Codó.

O secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Francisco Júnior, diz que o Mais Renda “mostra a porta de saída aos beneficiários”, já que permite que eles possam ter uma renda própria para o sustento da família.

“Depois que a pessoa é capacitada, a gente acompanha por um ano para garantir que vai ser lucrativo o negócio. Depois, ela consegue não precisar mais de programais sociais”. Ele conta que, ao fim do curso, os microempreendedores deixam a lista do Bolsa Família, entre outros programais sociais. “Eles conseguem independência financeira”, acrescenta.

Vocação para o negócio

A seleção dos beneficiados envolve uma série de fatores, entre eles a vontade de empreender. “O perfil do Mais Renda é a pessoa que já tem condição de ter um negócio ou interesse em ter”, afirma o secretário. Ou seja, o programa também ajuda vendedores informais que atuam por conta própria, mas de maneira mais precária e sem estrutura.

Os critérios de seleção têm funcionado: a taxa de aproveitamento de quem começa e termina o programa é de 90%.

O programa inicialmente começou com o segmento de alimentos e hoje inclui também o de beleza. Antes de começar a capacitação, técnicos do Governo verificam se a cidade tem o perfil para receber os kits. Por exemplo: de nada adianta ter muitas manicures se o município não apresenta grande procura pelo serviço.

Os beneficiários podem optar pelo tipo de carrinho. No caso do segmento de beleza, pode ser um mini salão móvel ou fixo, por exemplo.

O Mais Renda já está presente nas cidades de São Luís, Paço do Lumiar, São José de Ribamar, Caxias, Codó, Timon, São Mateus, Água Doce, Araioses, Santo Amaro, Primeira Cruz, Açailândia e Imperatriz.

O governador distribuiu 150 kits do Mais Renda para trabalhadores informais da beleza e alimentação. (Foto: Gilson Teixeira)