A tão aguardada minirreforma do governo Flávio Dino (PCdoB) finalmente aconteceu. Os secretários e presidentes de órgãos estaduais que já haviam manifestado desejo em concorrer às eleições de outubro deixaram, oficialmente, os seus respectivos cargos ontem, 2. A solenidade de posse dos novos secretários foi realizada no Centro de Convenções Pedro Neiva de Santana, Cohafuma, com a presença do governador Flávio Dino.

Ao todo, o governo do estado anunciou 12 mudanças em seu secretariado. Ao longo dos últimos dias, o governador Flávio Dino foi revelando os nomes dos substitutos por meio de seu Twitter. Todas as mudanças foram motivadas devido às eleições de 2018.

“É muito claro que o nosso governo conseguiu, nesses três anos e meio executar os seus principais compromissos conforme noticiado, inclusive, em âmbito nacional. E, em time que está ganhando, não se mexe. Estamos fazendo as medidas que a lei exige, mas estamos mantendo esse time que está ganhando e que vai continuar ganhando”, afirmou o governador Flávio Dino.

As trocas dos secretários e presidentes de órgãos estaduais seguiu realmente o planejamento revelado pelo governo desde o fim do ano passado. Tanto o governador quanto interlocutores de Dino sempre deixaram claro que a preferência era substituir os antigos gestores por pessoas ligadas que diretamente ao governo. Em outras palavras, os secretários-adjuntos eram a primeira opção para assumirem as pastas a partir de abril.

O secretário de Estado de Comunicação e Articulação Política (Secap), Márcio Jerry, deixa a pasta sob o comando de Ednaldo Neves, que estava à frente da Secretaria Adjunta de Articulação Política. Jerry já afirmou que estará na disputa para concorrer a uma vaga para deputado federal.

Outros 10 secretários assumem instituições de Estado. Foram empossados Loroana Coutinho de Santana, que assume a Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e de Extensão Rural do Maranhão (Agerp); Júlio César Mendonça Corrêa, na Secretaria de Agricultura Familiar (SAF).

Rodrigo Lago acumulará o  comando da Secretaria de Transparência  e Controle (STC) e a Casa Civil – antes comandada  por Marcelo Tavares. Ex-deputado estadual, Marcelo Tavares vai estar na briga para voltar à Assembleia Legislativa. E mais do que isso: ele não esconde de pessoas próximas que seu objetivo seria voltar à presidência da Casa.

“É com muito orgulho, muita honra que aceitei esse convite do governador Flávio Dino. Nesse momento em que se desincompatibiliza do governo alguns dos nossos colegas secretários que disputarão vagas na Assembleia Legislativa e na Câmara Federal, assumirei a Casa Civil. À Casa Civil compete coordenar a equipe de governo, fazendo a interlocução do governo com a sociedade e também com os demais poderes constituídos. Essa é a missão da Casa Civil”, afirmou Rodrigo Lago, novo secretário da Casa Civil.

Também tentam vaga na Assembleia Legislativa Duarte Júnior, e em seu lugar à frente da presidência do Viva/Procon,  assume Beatriz Taveira Barros; Neto Evangelista, sendo substituído por Francisco de Oliveira Júnior à frente da  Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedes); Simplício Araújo, que concorre para deputado federal, deixa o comando da Secretaria de Estado de Indústria e Comércio (Seinc), para Expedito Rodrigues Silva Júnior.