Apesar de ainda termos uma representação feminina na política residual, irrisória, as mulheres revolucionaram o nosso país nos últimos 40 anos.
Afirmo isso, ao constatar os avanços das mulheres brasileiras na educação e na qualificação profissional. Os maiores índices de escolaridade são delas. Trabalham mais, mas ainda é preciso batalhar pela equidade!
Elas deixaram para trás, nos anos 70, um maior índice de analfabetismo comparada com o de nós, homens, e chegam em meados deste século com maior proporção de conclusão de nível superior.
Isto é sim, uma revolução, e para mim um alento para mirar o futuro!

Neste 8 de março, que deve ser todo dia, sempre, é para exaltarmos a luta e nos juntar a elas em respeito e luta por todos os seus direitos.

Para Denise, minha esposa, e meninas filhas minha maior homenagem. Para Sofia e Helena, minhas netas, a certeza que luto por um mundo bem melhor.

Parabéns mulheres!